APROVEITE O FRETE GRÁTIS.

Botas Texanas em Amambai / Mato Grosso do Sul

Botas Texanas em Amambai / Mato Grosso do Sul

Buscando botas texanas femininas e masculinas em Amambai - Mato Grosso do Sul?

Acabou de encontrar! Aooo brutos e brutas de Amambai!



Nós da 7MBoots sabemos que Amambai - Mato Grosso do Sul  é repleta de gente bonita e alegre, eventos sertanejos, e por isso, gostaríamos de oferecer a vocês aquela dica de amigo do peito.

Vocês sabiam que um calçado confortável pode diminuir o estresse corporal, agregar bem-estar e até mesmo, melhorar o seu humor?

Pois é, ter comodidade nos pés faz toda a diferença. E quando todo o conforto se une com beleza, design e elegância indescritível?

Não é maravilhoso? Com as texanas da 7MBoots, isso é possível!

Quem já conhece nossos produtos sabe de toda a qualidade e durabilidade de cada um deles, e quem não conhece, precisa conhecer, afinal, só a 7MBoots oferece uma variedade incrível de botas texanas masculinas, femininas e infantis que agradam a todos os gostos e não decepcionam nos quesitos resistência e durabilidade.

No site da 7MBoots, você cowboy ou cowgirl, encontra botas texanas de bico quadrado, de bico redondo, além de modelos escamados, fabricados a partir de couro réplica de avestruz, com aplicações de bandeiras de países e muito mais!

Todos os nossos pares são fabricados em couro legítimo de maneira artesanal, para garantir a vocês a sensação de um calce perfeito, que proporciona flexibilidade única e bem-estar incomparável.

Corra já para o site e garanta a sua bota texana 7MBoots!

Nós garantimos uma entrega rápida e segura em Amambai, e em casos de trocas, não há motivos para preocupação, afinal, o nosso procedimento é bastante simples.

Escolha já a sua texana, e receba, na comodidade do seu lar, a sua mais nova companheira de aventuras.


Conheça um pouco mais sobre  Amambai Mato Grosso do Sul:

Gentílico: amambaiense

Histórico

Amambai Mato Grosso do Sul - MS
Histórico
O atual Município de Amambai teve seu primeiro devassamento realizado pelo bandeirante Aleixo Garcia. Entretanto seu povoamento se iniciou por volta de 1580 com o estabelecimento das missões jesuítas espanholas. A reunião de Portugal e Espanha sob o governo de uma só coroa, além de invalidar o Tratado de Tordesilhas, permitiu que as missões jesuítas ampliassem sua zona de influência em direção ao nascente, buscando uma saída para o litoral; situação que não agradava aos habitantes coloniais do Brasil. Por este motivo, em agosto de 1628, Antônio Raposo Tavares organizou uma bandeira e partiu em direção às missões jesuítas sediadas em Guaíra, destruindo-as completamente. Houve revanche por parte dos adversários e por isso, os embates bélicos entre bandeirantes e castelhanos se prolongaram por muitos anos, na região sul da província, agravando-se com o rompimento dos Tratados de 1750. Em vista da situação, D. Luiz de Souza, Capitão-General de São Paulo fundou uma fortaleza em Iguatemi, denominando-a de Colônia Militar de Iguatemi, a qual se manteve até 1777, quando foi atacada por forças castelhanas a mando de Agostinho Fernandes de Pinedo, Governador do Paraguai. O Tratado de Santo Ildefonso, em 1777, veio por fim aos choques armados.
A partir de 1882, Thomas Laranjeira conseguiu, por intermédio do Barão de Maracaju, uma concessão do Governo Imperial para colher erva-mate nos terrenos devolutos da fronteira com o Paraguai. Os trabalhos da Cia. Mate Laranjeira começaram em 25-07-1833, quando fincaram-se os esteios do primeiro arranchamento à margem do Rio Verde. Com o monopólio da extração da erva-mate, Laranjeira firmava o povoamento da região do Amambai, ligando seu nome à sua história.
A sede das atividades da empresa, na zona do Amambai, instalou-se num local que mais tarde tomou a denominação de Nhu-verá (Campo que brilha), atualmente Vila de Coronel Sapucaia.
A área que hoje constitui a cidade de Amambai, teve seu povoamento iniciado em 03-08-1903, quando ali se fixaram Januário Lima, Marcelino Lima, José Garibaldi Rosa, Oscar trindade e outros.
Em 1913, o Governo do Estado, por solicitação do Cel. Valêncio de Brum, líder político na região, concedeu uma gleba de terras para a formação do povoado, que tomou inicialmente a denominação de Patrimônio da União, posteriormente Vila União, atualmente cidade de Amambai.
Gentílico: amambaiense

Formação Administrativa
Em divisões territoriais datadas de 31-12-1936 e 31-12-1937, figura no Município de Ponta Porã o Distrito de Amambai.
Pelo Decreto-Lei Federal nº 9055, de 12-03-1946, o Distrito de Patrimônio União passou a denominar-se Amambai.
Por Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, promulgado à 18-09-1946, foi extinto o Território de Ponta Porã e o Distrito incorporado ao Estado de mato Grosso do Sul.
Pelo Decreto-Lei Estadual nº 330, de 07-01-1947 a área do extinto Território de Ponta Porã reincorporado ao Estado de Mato Grosso do Sul.
Elevado à categoria de município com a denominação de Amambai, pela Lei nº 131, de 28-09-1948. Desmembrado de Ponta Porã. Sede no Distrito de Amambaí. Constituído de 3 Distritos: Amambai, Antônio João e Iguatemi.
Por Lei nº 1166, de 20-11-1958 é criado o Distrito de Tacuru e incorporado ao Município de Amambai.
Por Lei nº 1167, de 20-11-1958 é criado o Distrito de Paranhos e incorporado ao Município de Amambai.
Por Lei nº 1124, de 17-11-1958 é criado o Distrito de Morumbi e incorporado ao Município de Amambai.
Por Lei nº 1177, de 17-11-1958 é criado o Distrito de Eldorado e incorporado ao Município de Amambai.
Em divisão territorial datada de 1-07-1960, o município é constituído de 7 Distritos: Amambai, Antônio João, Iguatemi, Eldorado, Morumbi, Paranhos e Tacuru.
Por Lei Estadual nº 1981, de 11-11-1963, desmembra do Município de Amambai o Distrito de Iguatemi. Elevado à categoria de município.
Pela Lei Estadual nº 2063, de 14-12-1963 é criado o Distrito de Mundo Novo e incorporado no Município de Amambai.
Em divisão territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído de 7 Distritos: Amambai, Antônio João, Eldorado, Morumbi, Paranhos, Tacuru e Mundo Novo.
Por Lei Estadual nº 2774, de 13-10-1967, o Distrito de Antônio João passou a denominar-se Coronel Sapucaia.
Por Lei Estadual nº 3692, de 13-05-1976, desmembra de Amambai o Distrito de Eldorado e Morumbi para formar o novo Município de Eldorado.
Pela Lei Estadual nº 3693, de 13-05-1976, desmembra de Amambai o Distrito de Mundo Novo. Elevado à categoria de município.
Pela Lei Estadual nº 3765, de 30-06-1976, é criado o Distrito de Sete Quedas e incorporado ao Município de Amambai.
Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 5 Distritos: Amambai, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru.
Por Lei Estadual nº 72, de 12-05-1980, desmembra de Amambai o Distrito de Tucuru. Elevado à categoria de município.
Por Lei Estadual nº 73, de 12-05-1980, desmembra do Municípo de Amambai o Distrito de Sete Quedas. Elevado à categoria de município.
Por Lei Estadual nº 623, de 30-12-1985, retificada pela Lei Estadual nº 810, de 21­12-1987, desmembra de Amambai, o Distrito de Coronel Sapucaia. Elevado à categoria de município.
Por Lei Estadual nº 777, de 17-11-1987, retificada por Lei Estadual nº 811, de 21­12-1987, desmembra de Amambai o Distrito de Paranhos. Elevado à categoria de Município.
Em divisão territorial datada de 15-07-1997, o município é constituído do Distrito Sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-07-1999.

Alteração Toponímica Distrital
Patrimônio União para Amambai, alterada pela Lei Federal nº 9055, de 12-03-1946.

Separamos alguns produtos para você