Aproveite o frete grátis

Botas Texanas em Barra do Garças / Mato Grosso

Botas Texanas em Barra do Garças / Mato Grosso

Buscando botas texanas femininas e masculinas em Barra do Garças - Mato Grosso?

Acabou de encontrar! Aooo brutos e brutas de Barra do Garças!



Nós da 7MBoots sabemos que Barra do Garças - Mato Grosso  é repleta de gente bonita e alegre, eventos sertanejos, e por isso, gostaríamos de oferecer a vocês aquela dica de amigo do peito.

Vocês sabiam que um calçado confortável pode diminuir o estresse corporal, agregar bem-estar e até mesmo, melhorar o seu humor?

Pois é, ter comodidade nos pés faz toda a diferença. E quando todo o conforto se une com beleza, design e elegância indescritível?

Não é maravilhoso? Com as texanas da 7MBoots, isso é possível!

Quem já conhece nossos produtos sabe de toda a qualidade e durabilidade de cada um deles, e quem não conhece, precisa conhecer, afinal, só a 7MBoots oferece uma variedade incrível de botas texanas masculinas, femininas e infantis que agradam a todos os gostos e não decepcionam nos quesitos resistência e durabilidade.

No site da 7MBoots, você cowboy ou cowgirl, encontra botas texanas de bico quadrado, de bico redondo, além de modelos escamados, fabricados a partir de couro réplica de avestruz, com aplicações de bandeiras de países e muito mais!

Todos os nossos pares são fabricados em couro legítimo de maneira artesanal, para garantir a vocês a sensação de um calce perfeito, que proporciona flexibilidade única e bem-estar incomparável.

Corra já para o site e garanta a sua bota texana 7MBoots!

Nós garantimos uma entrega rápida e segura em Barra do Garças, e em casos de trocas, não há motivos para preocupação, afinal, o nosso procedimento é bastante simples.

Escolha já a sua texana, e receba, na comodidade do seu lar, a sua mais nova companheira de aventuras.


Conheça um pouco mais sobre  Barra do Garças Mato Grosso:

Gentílico: barra-garcense

Histórico

Barra do Garças
Mato Grosso - MT

Histórico

A criação do município de Barra do Garças veio a ser uma encampação do município de Araguaiana, ou seja, uma mudança de sede de Araguaiana para Barra do Garças, passando Araguaiana a distrito de Barra do Garças.
As primeiras notícias acerca da região se deram por conta das lendárias Minas dos Martírios, no século XVII. Neste período, o imenso quadrilátero barra-garcense era habitado de cima abaixo por povos indígenas das nações bororó e xavante. A região teve efetivo início povoador com a navegação do rio Araguaia, ao tempo da guerra do Paraguai, quando o presidente da Província, Couto de Magalhães, viu a necessidade de ligação entre as bacias hidrográficas do Prata e Tocantins, unindo o sul ao norte, pelo centro. Iniciou-se então a navegação do rio Araguaia. Couto de Magalhães mandou transportar em carros-de-boi três navios, desmontados para viagem — do Rio Cuiabá até o Porto de Itacaiú, onde seriam montados.
Foram criados presídios, que serviam também de posto de registro: Ínsua, Passa Vinte e Macedina. O presídio de Ínsua foi transferido para as margens do rio Araguaia, em lugar denominado Porto Grande, que ficou cognominado Registro do Araguaia. Nas andanças entre presídios, os militares faziam postos na foz do rio das Garças. O local de referência era assinalado por uma pedra, a pedra da Barra Cuiabana, a primeira denominação de Barra do Garças. Em Barra Cuiabana viviam José Pedro, o filho Vicente e outras pessoas, exatamente em frente à Barra Goiana, hoje Aragarças.
A pedra da Barra Cuiabana tinha uma lenda. Dizem que Simão da Silva Arraya enterrou um recipiente (talvez uma garrafa) contendo diamante nas proximidades da grande pedra. Arraya marcou a pedra com os dizeres ″S. S. Arraya — 1871″. Para José Pedro, a inscrição foi esculpida por uma caravana desmobilizada em retorno da Guerra, liderada por Simão Arraya, somente para marcar a passagem pelo lugar. Na versão de Raul José de Mello, antigo coletor de rendas de registro do Araguaia a história é outra: ″... em 1871, o pai de Marcos Afonso (um dos herdeiros) e mais Simão da Silva Arraya e dois ex-combatentes de guerra encontraram enorme quantidade de diamantes″.
Na época, a comercialização era difícil, e sabedores do valor do achado começaram a guardá-lo numa garrafa. De certa feita, foram atacados por índios bororós. Antes de fugirem, enterraram a garrafa e mais tarde marcaram a pedra. A verdade é que ninguém encontrou a tal garrafa, e se foi achada, não foi divulgado — daí ser lenda. Em 1897, Antônio Cândido de Carvalho encontrou diamantes no rio das Garças. A notícia trouxe muita gente à região, aumentando o contingente populacional araguaiano. Neste período, a economia regional dividia-se entre a garimpagem e a extração de látex da mangabeira, que proliferava no cerrado.
Sua população foi formada por pessoas vindas de vários estados brasileiros, incentivados pelo desdobramento do Oeste em busca do ouro e do diamante. Região desbravada pelo Marechal Rondon, na metade do século passado e efetivado pelos sertanistas irmãos Villas Boas, que abrindo picadas (com a Fundação Brasil Central), fez nascer no seu rastro várias cidades.
O tempo passou, as pessoas foram chegando, e fizeram nascer esta maravilhosa cidade, à margem esquerda do Rio Araguaia, que delimita as fronteiras de Mato Grosso e Goiás. A região urbana conhecida como grande Barra é formada além de Barra do Garças, por Pontal do Araguaia (MT) e Aragarças (GO).

Formação Administrativa

Pelo decreto-lei nº 032, de 21-12-1935, é criado o distrito de Barra do Garça e anexado ao município de Araguaiana.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o distrito de Barra do Garça figura no município Araguaiana.
Pelo decreto-lei estadual nº 145, de 29-03-1938, o distrito passou a ser grafado Barra do Garças.
No quadro para vigorar no período de 1939-1943, o distrito Barra do Garças (ex-Barra do Garça) permanece no município Araguaiana.
Pela lei nº 121, de 15-09-1948, transfere a sede do Araguaiana para Barra do Garças.
Pela lei estadual nº 163, de 25-10-1948, é criado o distrito de São Félix (ex-povoado) e anexado ao município de Barra do Garças.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município já denominado Barra do Garças é constituído de 4 distritos: Barra do Garças, Araguaiana, Cocalinho e São Félix.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
Pela lei estadual nº 1502, de 12-07-1961, é criado o distrito de Luciara (ex-povoado de Mato Verde), e anexado ao município de Barra do Garças.
Pela lei estadual nº 1940, de 11-11-1963, desmembra do município de Barra do Graças o distrito Luciara. Elevado á categoria de município.
Pela lei estadual nº 2059, de 14-12-1963, é criado o distrito de Ministro João Alberto e anexado ao município de Barra do Garças.
Pela lei estadual nº 2077, de 14-12-1963, é criado o distrito de Toricueije e anexado ao município de Barra do Garças.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 6 distritos: Barra do Garças, Araguaiana, Cocalinho, Ministro João Alberto, São Félix e Toricueije.
Pela lei estadual nº 2153, de 15-05-1964, é criado o distrito de Nova Olímpia e anexado ao município de Barra do Bugres.
Pela lei estadual nº 3689, de 13-05-1976, desmembra do município de Barra do Garças o distrito de São Félix. Elevado à categoria de município com a denominação de São Félix do Araguaia.
Pela lei estadual nº 3759, de 29-06-1978, é criado o distrito de Canarana e anexado ao município de Barra do Garças.
Pela lei estadual nº 3759, de 29-06-1976, é criado o distrito de Nova Brasília e anexado ao município de Barra do Garças.
Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 7 distritos: Barra do Garças, Araguaiana, Canarana, Cocalinho, Ministro João Alberto, Nova Brasília e Toricueije.
Pela lei estadual nº 4165, de 26-12-1979, desmembra do município de Barra do Garças, o distrito de Canarana. Elevado à categoria de município.
Pela lei estadual nº 4176, de 03-03-1980, os distritos de Ministro João Alberto e Nova Brasília foram extintos, sendo seus territórios anexados ao distrito sede do município de Barra do Garças.
Pela lei estadual nº 4322, de 29-06-1981, é criado o distrito criado de Novo São Joaquim (ex-povoado), e anexado ao município de Barra do Garças.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o município é constituído de 5 distritos: Barra do Garças, Araguaiana, Cocalinho, Novo São Joaquim e Toricueije.
Pela lei estadual nº 4996, de 13-05-1986, desmembra do município de Barra do Graças o distrito de Nova Olímpia. Elevado à categoria de município.
Pela lei estadual nº 5006, de 13-05-1986, desmembra do município de Barra do Garças, o distrito de Araguaiana. Elevado à categoria de município.
Pela lei estadual nº 5007, de 13-05-1986, desmembra do município de Barra do Garças o distrito de Novo São Joaquim. Elevado á categoria de município.
Pela lei estadual nº 5009, de 13-05-1986, desmembra do município de Barra do Garças o distrito de Cocalinho. Elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído de 2 distritos: Barra do Garças e Toricueije.
Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído de 4 distritos: Barra do Garças, Indianópolis, Toricueije e Vale dos Sonhos.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Transferência de sede
Araguaiana para Barra do Garças, alterado pela lei nº 121, de 15-09-1948.

Retificação de grafia
Barra do Garça para Barra do Garças, teve sua grafia alterada pelo decreto-lei estadual nº 145, de 29-03-1938.

Separamos alguns produtos para você