O que é gineteada?

Uma das modalidades mais antigas dos esportes montados, a gineteada envolve o ato de montar e permanecer sobre o cavalo

Uma das modalidades mais antigas dos esportes montados, a gineteada envolve o ato de montar e permanecer sobre o cavalo pelo maior período de tempo possível, ou até que o sino soe.

A grafia refere-se ao ato de montar em cavalos, porém, não existe apenas uma forma de concluir a ação e tudo depende do local em que as provas são praticadas. O esporte tem bastante destaque na região Sul do Brasil e em países vizinhos como a Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. Para a realização da gineteada, alguns elementos como escolha do cavalo, da espora e da campana são essenciais. Confira no site da 7MBoots, as principais informações sobre a gineteada!

Cavalos adequados para a gineteada

Os cavalos adequados para a realização das gineteadas devem ser xucros ou mal domados. Afinal, quanto maior o grau de dificuldade para os ginetes, melhor. Dessa forma, é possível avaliar as habilidades dos atletas para contornar a resistência dos animais.

Utilização da espora

Os ginetes têm a espora como uma aliada que facilita a montagem nos cavalos rudes. Além disso, a peça conta com um longo papagaio (com cerca de 10 a 15 cm) e rosetas com 8 dentes que incluem pontas arredondadas, justamente para não causarem nenhuma fratura nos equinos.

Campana

O objeto é considerado um tipo de sino que é soado, primeiramente, no início da gineteada e posteriormente quando o atleta bate 8 segundos sobre o animal.

Modalidades

Confira abaixo algumas modalidades da gineteada, que variam de acordo com cada país onde as provas são realizadas. Algumas regiões apresentam suas próprias regras, estabelecidas por meio de seus respectivos contextos culturais.

Modalidade de Pelo

Considerada a modalidade mais popular do Brasil, a Modalidade de Pelo carrega esse nome porque, dentro dela, os ginetes devem montar no animal sem o auxílio das selas. Muito praticada na Argentina e no Uruguai, a técnica envolve estabelecer um trancado de tento e crina, ou então, utilizar a rédea que, neste caso, é passada por baixo do pescoço do animal. Além disso, a modalidade engloba uma outra forma de montar o animal, conhecida como espalda, também pode ser chamada de ramplão ou paletão. Nessa vertente de montaria, as regras permitem que o ginete agarre a crina dos equinos com as suas duas mãos.

Gurupa Sureña

Relativamente popular no Brasil, essa modalidade tem origem argentina e envolve um tipo de montaria mais plástica. Também conhecida como “boca atada”, nela, utiliza-se uma armação feita por ferro e esponja, que é atada ao cavalo por meio de barrigueira e travessão. O adereço tem como intuito possibilitar que o ginete leve o seu pé no toso do animal e, dessa forma, se dê uma montaria mais plástica. Além disso, os atletas inclusos nesta categoria usam esporas com papagaio de 4 cm e roseta com, ao menos, 5 pontas. O tempo para a campana é de 12 segundos.

Basto aberto

Para realização dessa modalidade, aos animais devem utilizar o bocal e a montaria ocorre sobre o basto e com estribos de formato arredondado. O tempo estipulado é de 12 segundos e a espora utilizada é a mesma da categoria sureña.

Basto oriental

Bastante popular em terras uruguaias, o Basto Oriental é caracterizado como uma ensilha completa, onde, ao invés da relha, é utilizada a pala.

E aí cowboys e cowgirls, gostaram de saber um pouquinho mais sobre a gineteada? O que acharam sobre essa competição repleta de emoções?

Separamos alguns produtos para você